Dez dicas para escolher a melhor cocheira/baia para seu cavalo.

0
53
Cavalos livres com o cuidado e respeito que merecem.

 

Vida de cavalo, com muita liberdade, verde, sol, sombra e água fresca?

Qual é a razão para o seu amigo ser um pensionista? Para ser montado nos finais de semana? Para ser recuperado de algum stress ou distensão, para ser reeducado porque adquiriu maus hábitos, para descanso entre estação de provas?

Enquanto você pensa, ou se já sabe a resposta, vamos conversando, pois

  1. Conversando a gente se entende:

Converse com os donos do local, veja a concepção que eles têm de como cuidar de cavalos. Vocês precisam falar a mesma língua, saber claramente o que acontece, como os animais serão cuidados.

E converse, em especial, com outros clientes que já tem experiência naquele lugar.

  1. Observe tudo:

Água tem sempre que ser limpa e fresca, cocheiras devem ser limpas, tratadores não devem gritar nem ter gestos bruscos de intimidação, os animais devem ser saudáveis. Em especial os cavalos devem chegar até as pessoas e não fugir delas.

Verifique o tamanho das cocheiras, locais de trabalho. Veja limpeza e o cuidado. Isso está ali, presente. Você nota. Veja os piquetes a qualidade do capim: braquiária não é comida de cavalo, muito menos capim elefante (Napier). Observe a qualidade da água – no Rio do Céu é de mina, canalizada diretamente para os cochos. Veja as diversidades e tamanhos dos piquetes, as cercas que não machucam (madeira ou plástico).

Mais: observe se os animais daquele local são calmos, receptivos às pessoas, consequência de maneira correta do trato de baixo, tratadores que gostam de lidar com cavalos. Cavalo não deve ser arredio nem fugir da gente. Mais uma coisa: se chover, seu cavalo pode se proteger, como em cocheiras que se abrem para piquetes, existem árvores para sombra se houver muito sol?

Observe fora: se seu cavalo está ali para passeios com você, faça um percurso de passeio pela região. Estradas de terra boas? Pouco transito de veículos? Há alternativas interessantes, paisagem bonita?

  1. Finalidade (aquela lá do começo, vc já deve saber o que quer…):

Cada vez mais as pessoas estão levando seus cavalos para o Interior do Estado, ao campo, para descansar de uma temporada esportiva ou simplesmente para serem bem tratados, com muito pasto e ar puro. E silêncio. Isso tem resolvido muitos casos de problemas pulmonares, recuperação de fôlego, úlceras. “Quando meus dois cavalos chegaram no Rio do Céu, em Araçoiaba da Serra, tossiam muito e estavam com pouco fôlego. Precisam de liberdade e ar puro, de tranquilidade e convivência com outros iguais. A recuperação foi tal que durante muito anos saíamos quase todos final de semana para longos passeios.” diz uma proprietária de dois cavalos, hoje ambos aposentados, cada um com 34 anos.

Qual é o seu caso?

  1. Localização:

Procure por lugares que estejam no máximo à duas horas de sua casa, com acesso fácil, num local bonito. Sair numa sexta a noite ou num sábado de manhã para ir passar um dia ou um final de semana com seu cavalo é algo que tem que ser gostoso, que não lhe traga stress. Boas rodovias ajudam muito nessas horas.

Para chegar ao Rio do Céu, são diversas rodovias modernas, de faixa dupla: Castelo Branco, Raposo Tavares, Rodovia do Açúcar e outras. Veja aqui.

  1. Como é verde o meu Pasto:

Veja a qualidade do pasto, tipo e variedades de capim, veja se existe muito esterco acumulado no pasto (o que não é saudável). Cavalos não comem braquiária e não devem comer napier . E água, água pura, boa e fresca à vontade.

  1. Converse sobre alimentação:

Verifique pessoalmente onde fica guardada a ração, veja o tipo, qualidade e percentual de proteínas e energia. Proteína não é tudo e energia é muito! Ou ao contrário, dependendo da finalidade de seu cavalo: esporte, passeios, descanço. Veja o sal mineral, quanto que é dado, que jeito. Quando os animais são alimentados. E a noite, existe uma inspeção? Tudo isso é fácil de verificar: o resultado está nos próprios animais.

  1. Exercícios e preparo:

Existem pensões para cavalos que incluem exercícios e/ou trabalhos. Combine isso, só pensão custa tanto, trabalho mais tanto. Veja como é a pista, se existe um redondel . Veja se a região é adequada para passeios, se o terreno é apropriado para preparação física, com subidas e descidas. Saia junto com o pessoal. Vá ver onde seu cavalo vai andar, veja onde você quer passear. Tenha em mente: “o que quero fazer com meu cavalo, quando, que preparação eu espero dele”.

  1. Primeiros socorros e seguro:

Vamos falar sobre o que ninguém gosta de falar. Como todo animal vivo, seu cavalo está sujeito a acidentes: assustar-se e quebrar uma cerca, ou simplesmente sair galopando, escorregar, cair ao fazer uma curva. Ou até aquele famigerado distúrbio intestinal, sobre o qual ninguém gosta nem de mencionar o nome.

Normalmente os primeiros socorros mais simples estão cobertos no valor da pensão mensal, mas o responsável pelo seu cavalo tem a liberdade – e obrigação – de chamar o médico-veterinário se ele compreender que assim for preciso e depois avisar você. Afinal é a responsabilidade e obrigação dele. O valor desse atendimento vai para sua conta.

Se possível, converse com o veterinário do local. No Rio do Céu são pedidos além de exames médicos de seu cavalo para entrar no local, um exame físico na presença do veterinário responsável pelo local.

  1. Complementos e Periféricos:

O que existe na região para fazer? Que passeios posso fazer com meu cavalo? A região tem estradas tranquilas, de terra boa e adequada para passeios? É bonita? Veja no mapa do Google. Onde ficarão guardadas suas selas, cabeçadas, a tralha toda? Quem limpa quem cuida, como cuidam? Faça um passeio com o pessoal do lugar. Isso revela tudo. Existe uma pista, o que você possa praticar?

Veja também o seu próprio conforto: acomodações na região, onde ficar se resolver passar a noite? Onde você e sua família podem almoçar, tomar um lanche etc. O que a cidade tem a oferecer se você precisar fazer compras, ou houver uma emergência ou simplesmente você quiser relaxar ao final da tarde indo ao cinema ? O Rio do Céu tem todos os roteiros e preços especiais em pousadas para aqueles que querem ficar nas pousadas e hotéis fazendas.

  1. Finalmente, valores:

Essa é parte mais difícil. E mais fácil. Quanto devo pagar? Tenha em mente que pensão para cavalos em manèges, haras etc, são mais baratos que em hípicas de grandes centros urbanos. Mesmo assim os valores variam. Não se iluda com pensão muito barata. Ninguém consegue cuidar e manter um local com bom pasto para cavalo – braquiária não é gramínea para cavalos – boa ração, boas instalações, bons funcionários, boa água, atendimento, responsabilidade e ainda ter lucro só porque os cavalos “estão no pasto”. No Rio do Céu os valores variam de acordo com os serviços incluídos. E a visita do ferreiro/casqueador é cobrada a parte bem como de uma emergência veterinária.

A realidade é que cada pensão vale quanto oferece: tranqüilidade, sossego, despreocupação. Com a certeza de que seu amigo está sendo bem cuidado. 24x7x365.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here